Aquele em que eu desisti

A pessoa aparece depois de quase vinte dias sem dar às caras e já começa falando que desistiu do BEDA. Bom, isso definitivamente não estava nos meus planos – porque eu queria de verdade ter terminado o desafio, mas não deu. Shame on me. A coisa de escrever todos os dias exige um esforço absurdo que eu não possuo no momento. Na verdade, tava tudo indo bem… Eu consegui me organizar por uns dias, mas depois desandou a vida devido ao fato de que acontecem coisas!

Resumidamente: nesse tempo eu consegui um estágio, os trabalhos da faculdade estão começando a virar uma avalanche e vida social eu basicamente não tenho mais (é real). Dentro disso ainda tem a atenção que eu preciso dar a minha família, ao meu namorado, a mim (hello!), as amigas e os livros que eu quero ler, fora a minha vontade de escrever aqui para o blog – e a lista segue infinita. Mas olha, escrever todos os dias? Não dá. Pelo menos não agora.

Resultado de imagem

Eu só queria vir dizer que o BEDA foi uma baita experiência para mim, mesmo eu tendo falhado miseravelmente, e que me ensinou coisinhas muito importantes. Levarei todas elas comigo daqui pra frente. O BEDA me deu a vontade de voltar a escrever com frequência. Me mostrou que eu posso e sou capaz, se eu quiser. E o principal: me mostrou que além de não estar sozinha, eu estou no caminho certo.

Queria poder dar um abraço em cada pessoa linda que veio aqui me ler durante esses dias intensos e talvez isso seja possível no nosso encontro de Eu Venci No BEDA (mais ou menos, né?). Isso tudo foi muito especial para mim!

Então, no fim temos eu, tu (talvez), os rascunhos e as palavras semanais. Que eu saiba usá-las bem!

#BEDAofim

Anúncios

Treze perguntas pessoais

(Ou: TAG Petralha)

Eu adoro ver respostas de TAGs por aí e acho essa, em especial, super divertida. É uma forma diferente de conhecer um pouquinho sobre quem escreve. A TAG foi sugerida lá no grupitcho SOTMB e decidi responder também, então lá vai:

Um O que costuma pedir no Starbucks?
Caramelo Macchiato (do amô)!

Dois – Qual item do seu armário você não consegue viver sem?
Tô pensando na resposta dessa pergunta tem uns dois minutos e ainda não sei. Mas posso dizer que ultimamente vestidos soltinhos e calça estilo pantacourt eu quero pra sempre comigo.

Três – Uma coisa que as pessoas não sabem sobre você
Eu simplesmente AMO ouvir as playlists prontas (e aleatórias) do spotify!

Quatro – Uma coisa que você quer fazer antes de morrer?
Viajar o mundo, tá valendo?

Cinco Qual comida você não consegue viver sem?
Feijoada, macarrão com molho branco e filé a parmegiana. Não necessariamente nessa ordem e nem tudo junto, mas desculpa, não deu pra escolher só um.

Seis Qual a frase que rege a sua vida?
“Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz”.

Sete – O que você gosta e não gosta sobre o YouTube?
Olha, eu adoro ver o tanto de diversidade e coisas bonitas que tem naquele lugar. Dá pra se inspirar bastante e eu troco fácil a TV pelo YT. Por outro lado, tem muita coisa também desnecessária e gente idiota se achando um máximo.

Oito – Qual a música que mais ouve?
Eu sou daquelas de fase com músicas, sabe? Mas ultimamente eu não tenho parado de ouvir Two Fingers, do Jake Bugg!

Nove – Como definiria o seu estilo?
Gosto de usar coisas que eu acho bonitas e confortáveis! 🙂

Dez – Número favorito
É o número 7 desde sempre, não me pergunte o porquê.

Onze – Dois hobbies
Ler livros e blogs alheios – sinto um prazer absurdo fazendo isso.

Doze – Duas coisas que te irritam?
Shopping cheio, com certeza me irrita e gente que anda devagar feat. gente que para na ESQUERDA DA ESCADA ROLANTE.

Treze – Um prazer culposo?
Ficar deitada em baixo das cobertas com a netflix aberta enquanto tenho um mundo de coisas para fazer. Eu amo, e depois me culpo. That’s just me.

#BEDAoito

E a vida?

Sei que eu estou atrasada com o BEDA, mas coisas acontecem.
Depois de decidir que iria começar o desafio, eu fiquei super empolgada e postei durante seis dias ininterruptos. Então eu sumi. Explico: teve eu vendendo brigadeiro para poder arrecadar dinheiro para um projeto especial, teve despedida de alguém também especial, teve minha família passando por um momento delicado e teve eu, começando Gilmore Girls, passeando por lugares incríveis e a um passo de conseguir o que quero. Coisas acontecem.

Não sei se a blogosfera me perdoa por ter dado um tempo no BEDA, mas aqui estou novamente com vontade de postar até terminar os dias. Terminarei mesmo que uma semana atrasada e tudo bem, que assim seja.
Minhas aulas voltam amanhã e eu estou num total de zero empolgações pela primeira vez em quase dois anos de faculdade; vamos ver no que dá, né? Posso garantir que causos, playlists, coisas lindas e escritos terão espaço por aqui. Eu também colocarei em dia as visitas nos blogs participantes do BEDA e no grupo SOTMB. Sendo assim, ainda tem alguém ai?

New Girl schmidt max greenfield im in fox tv

#BEDAsete

Quando a gente faz o que ama

Não existe sensação mais plena e gostosa do que aquela que deixa o nosso coração bem aquecido. Ontem eu conversei com uma amiga sobre como é bom fazer aquilo que a gente gosta. E eu pude perceber que fazer o que eu amo aquece o meu coração.

É tão bonito quando a gente se doa, até se esgota, para realizar aquilo que tem vontade. E que isso é só o começo. Pode ser um trabalho árduo, mas se for verdadeiro, vai valer muito a pena! A gente tem o poder de fazer escolhas – claro que nem sempre tão livres, pois existem circunstâncias que nos limitam, mas temos. E quando a gente escolhe aplicar o que já está dentro de nós para o mundo… Essa é a melhor escolha que poderíamos ter feito!

O meu coração transborda amor quando eu vejo alguém comentando por aqui, então eu quero dizer que sou grata se você vem aqui para me ler e comentar. Obrigado! O BEDA tem sido uma experiência incrível, com pessoas incríveis. No final de tudo, eu me sinto assim:

#BEDAseis

De mãos dadas

Uma vez, durante a aula de História do Cinema eu lembrei de um dia que me marcou. Sabe quando do nada a gente tem aquelas lembranças que nos tiram do plano por alguns instantes? Tudo voltou pra mim: a sensação de querer sumir por ter sido um fracasso, o toque dele no meu cabelo e o som das buzinas e dos carros tomando conta dos nossos ouvidos.

Era um dia quente, eu me lembro. Tão quente quanto quando dois corpos entram em contato pela primeira vez. A gente foi para um lugar calmo, onde não tinham mais pessoas ou barulho e foi lá onde nos encontramos um no outro. Me lembro de chorar todas as angústias do mundo imersa em seus braços, enquanto isso, ele me olhava e sorria de canto por saber que no fim tudo ficaria bem. No segundo seguinte eu já não sabia se ficava em paz por tê-lo ali comigo, ou se chorava mais por não querer que ele me deixasse nunca.

Depois de toda a confusão, a gente se apaixonou de novo. A gente tava feliz. Eu passei a mão suave em seu rosto com os olhos fechados, como um carinho, e ele sorriu escancaradamente, porque adora quando eu faço isso.

#BEDAcinco

Para lembrar

As vezes a gente fica meio murchinha por dentro e hoje inevitavelmente foi um dia desses. Quando isso acontece eu gosto de ouvir umas músicas que me confortam, ler livros para escapar do mundo um pouquinho e, principalmente, ler mensagens motivacionais.

Por isso, cês me perdoa a falta de criatividade, mas vou deixar as minhas preferidas ai em baixo para lembrar sempre que for preciso e também caso alguém esteja precisando ler coisas bonitas hoje. Uma hora tudo passa. Remember that.

julia-kostreva-x-designlovefest-free-desktop-download-atelier

tumblr_mxruxn30LJ1qlccb8o1_1280
NEW-BEGINNINGS2

hds_for_dlf_wallpaper_8

5.jpgtumblr_nftcpkgtTh1qlccb8o1_540#BEDAquatro

 

A louca das guias

Eu sou uma pessoa um tanto quanto compulsiva na internet. Não sei se você vai me entender, mas por exemplo, eu abro determinado link – que provavelmente contém outros links, e então sigo abrindo todos. Todos. Sem exceção. Quando dou por mim, já tenho mais de dez guias abertas porque se não fosse assim, não seria eu.

O problema é que eu me perco neste mundo cibernético e esqueço da vida. Eu simplesmente não consigo largar tudo que eu abri enquanto não tiver checado item por item.

Isso tem se tornado ainda mais intenso nesses dias de BEDA, meu navegador nem comporta o tanto de links que eu quero abrir, heh. É difícil ser eu, mas é ainda mais difícil saber de tudo que a minha pessoa quer saber. Nem eu aguento. Minha cabeça borbulha ideias, mas são poucas de fato que eu consigo colocar em prática. Por enquanto, sigo acordando relativamente tarde e passo o dia lendo, comentando blogs e pensando em posts. Acho que eu preciso me organizar melhor, porque quando a faculdade voltar tempo é uma coisa que não terei – e espaço na guia nova menos ainda.


Oremos.

#BEDAtrês